Asset 12 Asset 10 Asset 15 Asset 15 - - - - autodesk_icon_font_04_06_16_kl Asset 11 autodesk_icon_font_04_06_16_kl autodesk_icon_font_1_18_17_start_over-01

Keyboard ALT + g to toggle grid overlay

AutoCAD ilumina clube em Las Vegas

Arquitetura cinética ajuda a Tait Towers a transformar casa noturna de Las Vegas em obra de arte

São 2 da manhã em Las Vegas. Você deveria estar dormindo. Só que não! Você está no Omnia Nightclub, uma casa noturna com aproximadamente 7.000 m2, localizada no Caesars Palace e inaugurada em março de 2015. O nome Omnia, do latim omni, que significa “tudo”, cai muito bem, pois, neste lugar, você vive uma experiência inesquecível. Criado pelo Hakkasan Group, um império do setor de restaurantes e casas noturnas em todo o mundo, o Omnia é “tudo”, mesmo.

“Não é à toa que Justin Bieber tenha vindo comemorar seus 21 anos aqui”, você diz para si mesmo enquanto procura algum "paparazzo" à sua volta e esquece, por um momento, que você não é nenhuma celebridade dando uma festinha de aniversário milionária, mas alguém comum, que está na cidade a trabalho. Quem sabe, para uma despedida de solteiro? Ou, talvez, só curtindo com os amigos. Bem, não importa. Qualquer que seja o seu caso, você se sente transportado. E transformado.

Na próxima música, você vai entender por quê.

“I’m gonna swing from the chandelier, from the chandelieeeeer”, canta a australiana Sia, e sua voz ecoa pelo clube.

Você olha para cima e lá está ele: o lustre high-tech.

Imagem gentilmente cedida pela Tait Towers.

Pairando quatro andares acima da pista de dança e inundando o ambiente com luzes de todas as cores, ele se aninha em uma cúpula a quase 20 metros de altura e consiste em oito anéis concêntricos repletos de recursos multimídia, como projeções de vídeo, efeitos de luz e superfícies de vídeo com LED. Um ícone da “arquitetura cinética”, com anéis que sobem, descem, se inclinam e se tocam em sincronia com a música, como se fossem acrobatas. Ele é a principal atração do Omnia.

“Este lustre high-tech não apenas sobe, desce e pisca. De repente, os anéis "despencam" e descem bamboleando, levando as pessoas à loucura”, explica Tyler Kicera, diretor sênior de desenvolvimento de negócios da Tait Towers, empresa que projetou e construiu o lustre. “Ele, de fato, maximiza a experiência vivida no clube, pois cria um ambiente onde não há monotonia. As pessoas não ficam a noite toda imersas no mesmo ambiente. O lustre muda o tempo todo, e a energia muda junto.”

Colaboração gera inovação. Desde a fundação em 1978, a Tait Towers especializou-se em projetar e construir equipamentos de palco para eventos ao vivo, inclusive shows musicais e outros tipos de espetáculos, ao ar livre e em recinto fechado. O lustre high-tech criado para o Omnia foi uma parceria com o famoso projetista de produção Willie Williams, responsável por projetos para shows de artistas como U2, David Bowie, R.E.M., The Rolling Stones e George Michael.

Imagem gentilmente cedida pela Tait Towers.

“Willie começou estudando diferentes opções para o uso de vídeo no teto, e nos convidou para trabalhar com ele”, diz Adam Davis, presidente da Tait. “Fizemos vários estudos com o software Autodesk, buscando o caminho mais eficiente para uma solução realmente impactante para esse espaço. Acho que analisamos cerca de 25 projetos iterativos diferentes até chegarmos ao resultado final.”

Williams concebeu a ideia, um lustre dinâmico formado por anéis concêntricos, e forneceu os desenhos 2D iniciais à Tait, que cuidou da engenharia do produto final, usando o Autodesk AutoCAD e o Autodesk 3ds Max, para criar modelos 3D de teste e verificar se era isso mesmo que Williams imaginava. Conseguimos desenvolver o conceito muito rapidamente, e começamos a pensar nas questões de aparência e na parte prática da estrutura”, comenta Kicera. “O AutoCAD foi importantíssimo nessa tarefa, pois nos libertou daquele tipo de ambiente rígido que, em minha opinião, dificultaria muito o avanço do projeto com a velocidade que nós conseguimos.”

Imagem gentilmente cedida pela Tait Towers.

As simulações feitas no 3ds Max garantiram a aplicação correta da física, para que não houvesse colisões dos anéis.

“O 3ds Max foi uma ajuda essencial para entendermos como a coisa funcionaria na prática”, prossegue Kicera.

O processo todo consumiu 22 mil horas, algo em torno de 2,5 anos, desde a concepção até o comissionamento, embora a Tait tenha concluído o trabalho em cerca de um ano. “Foi muito rápido, considerando-se o trabalho de arquitetura”, continua Kicera. “Mas, trabalhando na área de entretenimento, estamos acostumados com prazos apertados.”

Projeto em movimento. É importante não confundir “rápido” com “fácil”. O produto final desta que é a maior instalação permanente do tipo em uma casa noturna, pesa quase seis toneladas e tem 20.152 pixels de LEDs individuais em três cores, quase 700 metros de cabos, ou seja, o equivalente a mais de dois navios de cruzeiro, e 357 cristais pendentes dos três anéis centrais do lustre. Nada disso foi fácil, especialmente considerando-se o efeito conseguido.

Imagem gentilmente cedida pela Tait Towers.

“Chegamos a um objeto do qual não se consegue tirar os olhos”, diz Davis. “Podemos descer o lustre todo muito rapidamente e fazê-lo pairar logo acima público, criando uma atmosfera intimista, e também o oposto: elevá-lo por completo, criando uma energia mais vibrante.”

O sistema baseia-se em um software de controle patenteado, que aproveita recursos de modelagem em vídeo para garantir a segurança e "coreografar" os movimentos do lustre, e também em conteúdo de vídeo com LED, o que acrescenta outro nível de complexidade.

Mas o aspecto mais empolgante deste lustre não é o que ele faz nem como funciona. O que mais nos faz vibrar é o que ele representa: uma nova era, na qual a arquitetura não é apenas visual, mas também cinética.

“A arquitetura cinética traz movimento para peças originalmente estáticas. Temos aí um caminho para a criação de oportunidades únicas, que podem mudar a experiência das pessoas em um espaço, qualquer que seja, e, assim esperamos, afetá-las positivamente. Ela está quebrando barreiras e criando momentos de descoberta e conscientização”, conclui Kicera. “Este tipo de arquitetura cinética está se desenvolvendo e se tornando um mercado real. Penso que temos aqui o primeiro passo de um caminho que mostra às pessoas o que é possível conseguir.”

Este artigo foi publicado originalmente no site da Autodesk Redshift, dedicado ao trabalho de inspirar projetistas, engenheiros, construtores e criadores em geral.

Imagem gentilmente cedida pela Tait Towers.

Dê o próximo passo!

Encontre a opção de assinatura que melhor se adequa à sua necessidade.

Solicite um contato

Veja os preços

Sign up for updates and offers

Sign up for email updates to receive special offers and the latest news.

Sign Up Now
Sign up for updates
Stay up to date with the latest resources.

Autodesk, Inc. • 111 McInnis Parkway • San Rafael, CA 94903

Autodesk, o logo da Autodesk, AutoCAD, AutoCAD LT, TrustedDWG são marcas registradas ou marcas comerciais da Autodesk, Inc., nos EUA e/ou em outros países. Todos os outros nomes de marcas, nomes de produtos ou marcas comerciais pertencem a seus respectivos proprietários. A Autodesk reserva-se o direito de alterar ofertas de produtos e serviços, especificações e preços a qualquer momento, sem aviso prévio, e não se responsabiliza por erros tipográficos ou gráficos que possam ocorrer neste documento.