Keyboard ALT + g to toggle grid overlay

Customer HDR APM LAX project

HDR

Design e fluxo de trabalho que usam BIM permitem maior precisão e colaboração aprimorada para o projeto Automated People Mover (APM) no LAX

Histórias de Clientes

Cortesia do Los Angeles World Airports (LAWA)

A HDR empreende um dos maiores projetos aeroportuários de design dos EUA, o Automated People Mover (APM), usando um fluxo de trabalho 3D simplificado e um modelo federado multidisciplinar que combina fluxos de trabalho de arquitetura e construção civil

A construção em grandes aeroportos sempre é complexa, ainda mais no Los Angeles International Airport (LAX), o segundo aeroporto mais movimentado dos EUA e o terceiro mais movimentado do mundo.

Com um crescente fluxo de passageiros de todas as partes do mundo, o Los Angeles World Airports (LAWA), o órgão dirigente do LAX, publicou em 2017 uma solicitação de propostas para o design e a construção de um novo sistema de trens, o Automated People Mover (APM).

Previsto para transportar até 87 milhões de passageiros por ano, o APM inclui 3,62 km de trilhos elevados que percorrem cinco estações e vinculam as instalações consolidadas para locação de veículos com a área do terminal central do LAX. Quando estiver operacional em 2023, ele também conectará os viajantes aos sistemas regionais de ônibus e metrô.

No valor de US$ 2 bilhões, este é um dos maiores projetos de construção aeroportuários ativos dos Estados Unidos.

Rigorosos critérios de design e padrões técnicos de projeto

A HDR, fornecedora de serviços de engenharia, arquitetura, meio ambiente e construção, está liderando uma equipe de 37 empresas de design parceiras em cinco fusos horários diferentes e com várias especializações para trabalhar na iniciativa do APM para o LAWA.

Os rigorosos critérios de design e padrões técnicos do LAWA exigem uma coordenação perfeita entre todas as equipes de design. "A HDR precisou produzir um modelo de Nível de design (LOD) 300 para todos os segmentos do projeto APM", diz Cameron Schaefer, líder de design digital da HDR no projeto.

Cortesia do Los Angeles World Airports (LAWA)

Como um dos maiores projetos de modelagem de informações de construção (BIM) do país, o APM envolve mais de 180 modelos de design criados e mantidos por mais de 300 designers de BIM.

O design incorpora os trilhos do trem, estações, elevadores e escadas rolantes, estruturas elevadas de passarelas de passageiros (com passarelas móveis entre as estações e os terminais do aeroporto), estruturas de estacionamento, melhorias viárias e paisagísticas e uma instalação de manutenção e armazenamento para os trens elétricos do sistema.

União de equipes horizontais e verticais com o BIM

Precisando de uma solução flexível, a HDR escolheu o Autodesk BIM 360 e módulos de BIM adicionais para coordenação de modelos e gerenciamento de dados. De acordo com Schaefer, "precisávamos gerenciar uma equipe grande e manter todos na mesma página e em dia com tarefas de coordenação e compartilhamento de informações". "A integração de modelos horizontais e verticais em um modelo federado comum nos permitiu compartilhar informações entre as plataformas e coordenar o trabalho das equipes de construção civil e de arquitetura nos modelos de trilhos e estações."

De acordo com Jay Chiglo, diretor de entrega alternativa da HDR e responsável pelo APM do LAWA, esse projeto "viu o uso mais extenso do BIM sobre o qual eu tenho notícias na HDR em termos de engenharia".

Cortesia do Los Angeles World Airports (LAWA)

Desde serviços públicos civis até estruturas de estações, o projeto conta com mais de 180 modelos de design ativamente mantidos e usados para detecção de interferências 3D, planejamento em fases 4D, visualização e estimativas em 5D.

A abordagem multidisciplinar ajudou a melhorar a comunicação entre as equipes e as partes interessadas, expôs problemas de construtibilidade durante o design no escritório, em vez de no campo, e melhorou a coordenação entre várias plataformas de design (Civil 3D, InfraWorks, Revit, Inventor).

Manter o projeto nos "trilhos" com o BIM 360

O BIM 360 é fundamental para acompanhar o progresso e atualizar todos os arquivos do projeto. "O BIM 360 nos deu a plataforma inicial para criar um design em tempo real dentro de todas as estações incluídas nesse projeto", conta Pedram Oskouie, vice-gerente de BIM da HDR. "Ele tornou nossa comunicação mais eficiente, e usamos o módulo de gerenciamento de documentos para lidar com problemas de coordenação e design, o que nos permitiu atribuí-los aos designers, fazer o devido acompanhamento e, em seguida, criar relatórios com base neles."

Cortesia do Los Angeles World Airports (LAWA)

"Os modelos eram compartilhados com nossos parceiros de construção semanalmente e usados para comunicar e transmitir a ideia de design", diz Schaefer.

"Não é possível construir as instalações sem entender como os trilhos se relacionam com as pistas, as passarelas e os serviços públicos", explica Chiglo. "O BIM desempenhou um papel muito importante em unir todo o nosso trabalho, o que foi extremamente importante para nos manter em movimento em um projeto tão rápido e impulsionado por um cronograma."

"Criar pontes" com um fluxo de trabalho de design de ponte linear

Reunir a equipe em um ambiente de dados comum com um único modelo compartilhado foi uma etapa importante para a colaboração. Porém, a equipe também precisava de um processo eficiente para incorporar em um único modelo federado comum todos os designs que eram criados em várias plataformas diferentes.

O InfraWorks, o Inventor, o Civil 3D e o Revit da Autodesk foram as forças motrizes para um novo fluxo de trabalho de design de estruturas de pontes de trilhos para superar esse desafio. A HDR e a Autodesk colaboraram por todo o processo de design para melhorar esse fluxo de trabalho conforme necessário.

"A Autodesk implementou um novo recurso que proporciona maior precisão e consistência entre alinhamentos do Civil 3D e seu uso correspondente em modelos do InfraWorks. Como isso era necessário no projeto, migramos retroativamente seu modelo muito detalhado no nível dos dados a fim de tirar proveito desse aprimoramento. Caso contrário, eles teriam que remodelar todas as suas estruturas de pontes de trilhos", explica Ara Ashikian, gerente de produto sênior da equipe de Estruturas civis da Autodesk.

"Foi esse tipo de iteração em ambas as direções que trouxe confiança para ambos os lados. Sabíamos que já estávamos lidando com a maioria dos aspectos e que as partes finais seriam fornecidas pela equipe de design que, na prática, estava encarregada de implementar o projeto real. "É um malabarismo."

Cortesia do Los Angeles World Airports (LAWA)

O fluxo de trabalho fecha a lacuna entre o Civil 3D e o Revit.

"Tudo é feito por meio do InfraWorks como a plataforma principal para preencher essa lacuna", conta Schaefer. "O imenso poder por detrás do fluxo de trabalho de modelagem de pontes está em como podemos integrar o design em seu estágio de ciclo de vida. Por exemplo, nosso alinhamento de trilhos, todo projetado no Civil 3D, foi trazido para o InfraWorks para iniciar a construção de uma ponte dinamicamente ligada ao alinhamento de trilhos. No final das contas, estamos exportando esse modelo para o Revit, que pode então ser usado pelos arquitetos das estações."

Isso economiza tempo em comparação com o uso de um modelo estático no Revit, que requer uma nova iteração todas as vezes que um alinhamento muda ou ao atualizar algo no Civil 3D.

O novo fluxo de trabalho de modelagem de ponte linear da Autodesk também permite que a equipe acompanhe problemas por meio da coordenação de modelos e atualize todas as partes interessadas com relatórios dinâmicos do Power BI.

O fluxo de trabalho de design de ponte traz benefícios para o design dos trilhos

"A capacidade de aplicar informações de nuvem de pontos com o modelo 3D derivado do InfraWorks foi um grande benefício", conta Andrew Chung, líder de BIM para tilhos da HDR.

"Fomos capazes de entender como nosso design interage com o mundo real. Podemos extrair a nuvem de pontos, colocá-la no modelo 3D e ter informações altamente precisas nas pontas dos dedos."

Cortesia do Los Angeles World Airports (LAWA)

O novo fluxo de trabalho de design de ponte melhora a coordenação e a colaboração entre as equipes estruturais e de arquitetura dos trilhos, além de permitir que elas lidem melhor com os acontecimentos inesperado que costumam surgir em um empreendimento tão complexo.

"Houve mudanças e algumas estruturas adicionadas que ambas as equipes foram capazes de modelar muito rapidamente", lembra Chung. "Naquele espaço do Revit, por meio desse fluxo de trabalho de ponte linear, conseguimos executar os serviços em um dia para garantir que as estruturas estivessem alinhadas, que as elevações estivessem corretas e que os sistemas de coordenadas estivessem corretamente combinados entre disciplinas horizontais e verticais."

Maior automação para transmitir ideias complexas

Com o grau de coordenação necessário entre as equipes disciplinares e a necessidade de atualizações dinâmicas e precisas para o design de trilhos/pontes do APM, o sistema desenvolvido com a Autodesk foi intencionalmente flexível.

"A comunicação é a chave e a automação é fundamental", diz Schaefer.

"Com tantos membros nas equipes, quanto mais etapas no processo que permitam automatizar e eliminar tarefas manuais, melhor. Conseguimos encontrar maneiras eficientes de transmitir ideias e fluxos de trabalho complexos a várias partes interessadas espalhadas pelo país. O BIM 360, a coordenação de modelos e o Navisworks desempenharam um imenso papel na capacidade de lidar com esse projeto de maneira eficaz."

Cortesia do Los Angeles World Airports (LAWA)

"A precisão é fundamental", concorda Ashikian. "Você quer ter a confiança de que o alinhamento do Civil 3D e as construções do Revit e todas as pontes estão totalmente alinhados.

"No final das contas, tudo vai para o Revit e o Navisworks e se alinha com precisão, graças a um fluxo de trabalho que abrange do design inicial até o design detalhado e a todos os requisitos ao longo do caminho quanto à precisão, ao nível de detalhe e aos parâmetros."

Poupar tempo em projetos futuros com o BIM

Trabalhar em um projeto ao vivo com a HDR permitiu que a Autodesk se concentrasse nas melhores maneiras de estender o produto, explica Ashikian.

"Por exemplo, adicionamos todos os objetos genéricos e perguntamos: 'Como podemos torná-los muito mais inteligentes para que eles se posicionem de forma mais intuitiva? Como podemos adicionar isso ao produto para agregar mais valor para todos?' Para esse projeto e a HDR, bem como para projetos futuros,"diz Ashikian.

Cortesia do Los Angeles World Airports (LAWA)

De acordo com Schaefer, desafiar os limites nesse projeto deu à HDR a oportunidade de inovar.

"Comprovando a eficácia desse fluxo de trabalho da Autodesk no projeto do APM, não houve perda de tempo", disse Schaefer sobre a implementação desse novo fluxo de trabalho em novos projetos.

A HDR também o tem usado (desde janeiro de 2020) no Ontario Line Project em Toronto, uma nova linha de metrô de 16 km no qual a empresa atua como consultora técnica para a Infrastructure Ontario e a Metrolinx.